Logística

Transporte multimodal: automação logística para a gestão das entregas

26 de Outubro de 2016 | por Equipe Benner

A crescente demanda logística em todo o território brasileiro para entregas de produtos e movimentação de cargas aumenta as vendas da sua transportadora, mas também os custos logísticos, não é mesmo? Tendo em vista esses custos, as empresas têm apostado em formar parcerias com fornecedores logísticos no transporte multimodal  (rodoviário, ferroviário, marítimo e aéreo), com o objetivo de reduzir os indicadores logísticos de custos nas entregas.

Veja o exemplo de uma entrega com saída de Blumenau (SC) e tem como destino Manaus (AM). Durante esse trajeto a frota da sua transportadora é responsável por metade do percurso e para o restante da viagem são utilizados fornecedores selecionados ( LATAM Airlines Brasil no trajeto aéreo e a empresa Majonav Navegação no trajeto fluvial, por exemplo). A questão aqui é: você é responsável pela entrega final do produto, independente dos recursos de terceiros que teve que incluir na rota!

Neste caso, para você, diretor de operações, não perder o controle dos seus fornecedores e garantir qualidade nas entregas, é preciso considerar alguns fatores que interferem no indicador de desempenho logístico da empresa!

# Custos com pagamentos

A transportadora ao contratar terceiros tem gastos com o frete para transportar a mercadoria mais taxas adicionais: retirada das cargas em sua origem, entrega no destino final, seguros da mercadoria, preparação e acondicionamento para transporte. Além dos custos com o transporte próprio em determinado trecho: serviços de mão de obra, manutenção de equipamentos e máquinas, depreciação dos veículos, os combustíveis utilizados em toda a operação, além dos custos administrativos.

# Cumprimento dos prazos de entregas

O tempo de entrega, mesmo se for feita da mesma origem até seu mesmo destino, sempre acaba variando em relação a sua duração, devido a problemas climáticos, congestionamentos no trânsito ou acidentes no trajeto e número de paradas. A questão-chave no transporte multimodal é a eficiência na troca de informações para facilitar as movimentações das cargas entre os diferentes meios, pois essas operações muitas vezes podem ocasionar atrasos, prejudicando principalmente o tempo de entrega da mercadoria.

# Qualidade na entrega

Todos os prejuízos ocasionados durante o transporte ou armazenagem, desde perdas, roubos, danos, avarias, são de responsabilidade da transportadora, assim como a responsabilidade por atrasos nas entregas, caso haja prazos estipulados no contrato. Além do transporte em si, a empresa tem o compromisso de coletar a mercadoria, carregar e descarregar os produtos, movimentar, armazenar e entregar no destino.  

# Tecnologia como facilitadora

Pensando em reduzir custos nessas etapas, transportadoras estão investindo cada vez mais em automação logística visando à otimização de todo o processo. Uma ferramenta de gestão logística proporciona um controle total das informações, rastreamento da frota envolvida na operação, inclusive os fornecedores, origens, sequenciamento de embarques, destinos, prazos  e qualidade da entrega (a mercadoria não pode chegar danificada), além do controle de custos e pagamentos logísticos. Esse controle permite uma decisão estratégica mais correta, uma vez que toda a operação é acompanhada passo a passo, em tempo real.

As entregas são realizadas envolvendo vários processos e fornecedores logísticos, que se não estiverem bem amarrados podem ocasionar problemas nas entregas e até mesmo ocasionando, perdas de vendas e de clientes. Vale a pena investir num sistema de informação para logística específico para a gestão, totalmente segurado contra qualquer tipo de perda ou desinformação, e que trará retornos financeiros já em curto prazo para a empresa, permitindo que essa economia seja convertida em investimentos em outras áreas da transportadora!

cta-horizontal-benner-logistica-p3

 

Comente