Logística

Seguro da frota: controlar as apólices faz parte do processo!

4 de Outubro de 2016 | por Equipe Benner

Caminhão carregado, caixas de tomate devidamente acomodadas, é hora de seguir viagem. Saindo do interior de São Paulo, o destino da carga será Salvador. Mas faltando aproximadamente 600 quilômetros para chegar ao destino final, um animal silvestre atravessa a pista, ocasionando uma manobra brusca por parte do motorista e o consequente tombamento do veículo. Felizmente, ninguém se feriu. Mas a carga de tomates foi perdida.

A transportadora responsável, assim que toma conhecimento do acidente, aciona sua seguradora. E descobre, então, que o pior ainda está por vir: o destino informado para a carga não confere com a rota da viagem e o local do acidente!

Um fator importantíssimo ligado ao gerenciamento de riscos nas operações logísticas são os seguros da frota, que devem estar sempre em dia antes de o caminhão sair do pátio. Como sua empresa faz para realizar o controle de seguros da frota e atender todos os requisitos impostos pelas seguradoras e suas gerenciadoras de riscos?


Além de zelar pela segurança na operação, com a alta incidência de sinistros sua transportadora precisa contar com a cobertura de seguros na frota.


Existem no mercado três tipos de seguro para o transporte de cargas: um feito pelo embarcador e dois pelos transportadores. O Seguro Transporte Nacional deve ser feito pelo “dono da carga” e é obrigatório. O RCTR/C (Responsabilidade Civil do Transportador Rodoviário de Carga) também é obrigatório e deve ser feito pela empresa de transporte, para cobertura de prejuízos pelos quais o próprio transportador seja responsável, como colisão e capotamentos, por exemplo. O terceiro, opcional e que também é feito pelas transportadoras, é o RCF-DC (Responsabilidade Civil – Desaparecimento de Carga).


cta-horizontal-benner-logistica-p3

As seguradoras estão cada vez mais exigentes e sua transportadora precisa estar atenta aos direitos e principalmente às regras de cobertura das apólices de seguro da frota. Ter gestão de cobertura, vencimento, tipo de carga, peso, entre outros dados importantes fará toda a diferença para evitar dores de cabeça no momento de acionar a seguradora para obter o ressarcimento tão bem-vindo para resolver os problemas gerados por roubo, acidentes e outras situações que comprometem a operação de transporte. Não controlar com eficiência todas as informações pertinentes às apólices pode comprometer o recebimento do prêmio, e, consequentemente, levar prejuízo para sua transportadora.


Por isso, uma solução logística com controle de seguros é indispensável. Ela monitora a viagem desde o início e o destino é sempre atualizado para evitar divergências. Confira as vantagens de se contar com a solução certa:


  • Rastreamento, monitoramento e roteirização;
  • Gestão de motoristas de transportes terrestres de cargas;
  • Controle efetivo das apólices;
  • Gestão das Dispensas de Direito de Regresso;
  • Controle de planos de riscos detalhados;
  • Cálculo automático do prêmio por documento;
  • Averbação eletrônica;
  • Integração com gerenciadoras de riscos;           
  • Atendimento às regras legais, como a circular nº 354/07 da Susep (Superintendência de Seguros Privados) e Suroc/ANTT nº 001/2014.


Se na sua transportadora o controle de seguros da frota é feito de maneira manual, estará mais sujeito a erros (como ocorre em todo processo manual) e consequentemente a prejuízos. Melhore essa gestão com tecnologia aplicada a automação logística e à gestão dos seguros e confira a evolução dos indicadores logísticos da sua empresa!

Comente