Logística

Quais as mudanças propostas pela MDF-e?

9 de Fevereiro de 2017 | por Equipe Benner

O transporte rodoviário de cargas no Brasil, é responsável por mais de 60% do volume das mercadorias movimentadas, conforme números apresentados em 2011 pelo Ilos - especialistas em Logística e Supply Chain.


A legislação na logística de transportes exige uma série de documentações para confirmar a procedência ou o destino durante a movimentação de mercadorias. Além disso, a apresentação de diferentes documentos fiscais, como a DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) ou a própria nota fiscal, para representar a legalidade do transporte, também é obrigatória e demonstra a realidade do transporte para a SEFAZ (Secretaria da Fazenda).


Para o motorista responsável pelo transporte de mercadorias, é essencial que esses documentos estejam sempre em mãos ou com fácil acesso. Assim, caso haja uma fiscalização durante a rota programada, os documentos poderão ser apresentados com rapidez, minimizando possíveis atrasos ou adversidades nas entregas.


Nos últimos anos, aconteceram algumas mudanças na legislação aplicada na logística e todas essas mudanças têm a intenção de melhorar ainda mais a rotina de quem atua com logística de transporte. Com esse objetivo, por meio de todos os avanços e possibilidades oferecidos pela tecnologia, o governo brasileiro busca automatizar cada vez mais recursos para acompanhar com mais agilidade e eficiência o transporte de cargas.


Dessa forma, em dezembro de 2010 foi instaurado o Manifesto de Documento Fiscal Eletrônico (MDF-e), desenvolvido para substituir documentos físicos. O objetivo é facilitar algumas burocracias e padronizar processos em apenas um arquivo eletrônico.

Projeto MDF-e tem como objetivo a implantação de um modelo nacional de documento fiscal eletrônico que venha substituir a sistemática atual de emissão do documento em papel, com validade jurídica garantida pela assinatura digital do emitente, simplificando as obrigações acessórias dos contribuintes e permitindo, ao mesmo tempo, o acompanhamento em tempo real das operações comerciais pelo Fisco.

Anteriormente era necessário apresentar documentos físicos como o Manifesto de Carga e a Capa de Lote Eletrônica em paradas obrigatórias ou fiscalizações. Com o MDF-e, o tempo de fiscalização será reduzido, pois o fiscal poderá verificar todas as informações que precisa em somente um arquivo.

Conheça algumas mudanças:

tabelo log.png

Para atender a legislação da logística de transporte, a automatização de processos é importante e proporciona redução de riscos fiscais. Além disso, garante a agilidade na emissão de documentos, mantendo sempre a compatibilidade com a legislação vigente.

Tornar os processos manuais em eletrônicos é uma prática que muito beneficia a movimentação de mercadorias na sua transportadora, pois possibilita a redução nos prazos, minimiza possibilidades de atrasos na entrega e possibilita a implementação da gestão dos processos.

cta-horizontal-benner-logistica-p3

Comente