Compliance Jurídico

Passivo trabalhista: como melhorar a gestão e reduzir riscos

27 de Abril de 2016 | por Equipe Benner

Dados do Tribunal Superior do Trabalho (TST) obtidos pelo G1, mostram que o número de processos trabalhistas no Brasil aumentou 12,3% no ano de 2015, em relação a 2014. Foram recebidas pelas varas do Trabalho do país 2,6 milhões de ações – um recorde de toda a série histórica, iniciada em 1941.


No atual cenário econômico, onde as empresas lutam bravamente para manter os resultados, esse passivo trabalhista acaba gerando impactos muito sérios no  planejamento das companhias. Com números tão expressivos, é imprescindível buscar formas de identificar, entender e gerenciar esse passivo à fim de reduzir os impactos financeiros causados.


Confira quatro ações fundamentais para fazer uma excelente gestão do passivo trabalhista e reduzir os riscos para sua empresa!


#1 Acompanhe bem de perto o fluxo de trabalho

Manter um controle de processos judiciais que se encontram na fase de execução, é uma boa prática para mensurar de forma mais concreta valores que serão gastos pela empresa para pagamento das execuções trabalhistas e previdenciárias. A automação do fluxo de trabalho permite o monitoramento desde o cadastro dos processos até a realização dos cálculos, tornando possível, por exemplo, a antecipação de acordos antes mesmo que a empresa seja citada, melhorando as negociações e, consequentemente, as chances de êxito.

#2 Faça da gestão de riscos uma rotina

O risco jurídico é inerente à praticamente todas as atividades da empresa, e as relações trabalhistas, por envolverem vasta legislação, normas sindicais e ainda aspectos da relação humana, são bastante suscetíveis a eles. Por isso, o departamento jurídico precisa oferecer assessoria constante para tomada de ações e práticas que reduzam esses riscos. A gestão dos riscos trabalhistas, além de reduzir custos e despesas, ajudará a otimizar procedimentos e criar oportunidades de melhoria, ao passo que auxilia a adoção de processos mais adequados ao desempenho harmônico de toda a organização.


#3 Revise constantemente a provisão do passivo trabalhista

A correta provisão de valores torna o passivo mais realista e garante que os valores provisionados fiquem bem próximos àqueles efetivamente devidos. Por isso, é necessário realizar o controle dos cálculos frente aos cadastros de novos processos e a análise dos pedidos conforme regras de cálculo aplicadas para cada pleito. Nesse ponto, ter informações atualizadas sobre o andamento das ações, assim como acesso fácil e seguro às informações históricas dos funcionários, faz toda a diferença na acuracidade da provisão. A disponibilização dos cálculos e a utilização desses resultados no provisionamento, execução e até na impugnação do pleito traz ainda mais assertividade ao processo.

#4 Conte com parceiros especializados

Sua empresa pode contar com parceiros para trabalhar com Business Process Outsourcing (BPO), adotado com o objetivo de diminuir custos em tarefas que não sejam relacionadas ao negócio principal da empresa. Por exemplo, ao contratar parceiros que cuidem do seu passivo trabalhista, você pode transferir a execução dos processos e todas as atividades relacionadas. A disponibilidade de ferramentas, processos automatizados, mão de obra qualificada e instalações é imediata, fazendo com que sua empresa ganhe com aumento da produtividade e dedicação à gestão do passivo.


Sua empresa precisa trabalhar com controle de processos judiciais efetivo, atuar na gestão de riscos e buscar parcerias que simplificam e contribuem para identificar, entender e gerenciar seu passivo trabalhista com mais efetividade.   


Conte conosco como parceiros da sua empresa para ajudar o departamento jurídico na busca da redução do passivo trabalhista.

cta_benner_juridico_ti_horizontal

Comente