ERP

Os principais ERPS que dominam o mercado

22 de agosto de 2019 | por Equipe Benner

A capacidade de fazer uma empresa crescer de forma sustentável está diretamente ligada à adoção de processos mais eficientes, de gerir melhor os recursos e impulsionar os colaboradores rumo a eficiência.

De forma isolada, cada um desses objetivos já é complexo. Então, como fazer com que todos eles sejam alcançados ao mesmo tempo? Ou ainda mais importante, como fazer tudo isso e deixar o cenário pronto para continuar a expansão do negócio?

Uma das respostas para essas perguntas está na escolha de ferramentas adequadas de gestão, como o software ERP, do inglês “Enterprise Resource Planning”, ou “Planejamento de Recursos da Empresa”.

Um sistema tão importante para a manutenção e o desenvolvimento da empresa, que precisa ser escolhido com cautela e mentalizando o objetivo de alcançar os melhores resultados. Entenda a situação do mercado de ERP e como escolher o seu.

O cenário favorável para investir em ERPs

O investimento em ERPs tem crescido bastante no Brasil nos últimos anos. Segundo estudo da ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software), o país já ocupa o 9° lugar no ranking mundial de investimentos em TI.

Considerando apenas a América Latina, os números são ainda melhores. O Brasil ocupa o 1° lugar na lista, com nada menos que 39,1% do montante total investido em serviços, produtos e estrutura de TI.

Além disso, o valor de U$38 bilhões aplicados em soluções tecnológicas no Brasil representa um aumento de 4,5% entre os anos de 2016 e 2017. Na prática, isso significa muito para o cenário de inovação.

Ao mesmo tempo que o Brasil é conhecido pela alta criatividade e poder de inovação, também amarga a fama de ser altamente improdutivo, por conta de processos ineficiente e burocracia exagerada.

O investimento considerável em soluções tecnológicas, que ajudam a melhorar justamente esses aspectos, aponta para o amadurecimento da mentalidade dos líderes executivos e gestores das empresas. Esses profissionais entendem que não há mais tempo para adiar o progresso tecnológico, um dos motivos para o mesmo estudo já citado projetar para 2018 “o ano da recuperação”, mesmo com as incertezas relacionadas às eleições.

Mas, será que todos esses dados e expectativas refletem de forma direta nos ERPs? Com certeza! Basta pensar nas atribuições de um software ERP para a rotina de uma empresa: desde balanço contábil até gestão de estoque, nada fica de fora.
Isso faz do ERP um dos sitemas mais importantes para negócios de qualquer tamanho manterem a organização e criarem processos mais eficazes, com melhor relação custo-benefício.

Os benefícios do ERP para uma empresa

Não é novidade para ninguém que conhecimento é poder. E, no caso de uma empresa, isso assume um significado ainda mais amplo. Tal “poder” pode ser traduzido como uma capacidade maior de gerar lucro e a chance de influenciar em decisões de compra dos consumidores por um longo tempo.

Em outras palavras, é o que toda empresa busca. E esse conhecimento nunca esteve disponível de forma tão aberta quanto hoje. A transformação digital revolucionou a forma como as pessoas interagem umas com as outras.

Como resultado, o compartilhamento de informações enquanto ferramenta de progresso coletivo se tornou regra. As pessoas estão dispostas a dividir dados sobre si mesmas e abrir mão de posses para garantir experiências de consumo mais completas.

Estamos na era dos serviços por assinatura, da economia compartilhada, dos bancos digitais. Quer um exemplo de como o conhecimento pode tornar uma empresa poderosa? Em uma indústria dada como morta, o Spotify conseguiu atrair mais de 170 milhões de usuários e 75 milhões de assinantes.

Pense por um momento: eles conseguiram fazer com que 75 milhões de pessoas pagassem todo mês por algo que estava disponível de graça na internet, há anos!
Tais resultados tão expressivos se devem ao entendimento que os executivos do Spotify tiveram do rumo que o mercado tomava, já em 2008. Também foi importante que continuassem usando os dados de forma estratégica.

Você talvez pense que esse tipo de análise é feita graças a tecnologias como Big Data, Machine Learning e afins. Sendo assim, o que isso tem a ver com o ERP? Tudo! Afinal, o ERP é a base de tudo no que diz respeito à gestão e análise de dados.

Por meio desse sistema, você vai gerenciar o negócio de forma completa, com uma visão 360° da empresa. A partir disso, será mais fácil tomar decisões estratégicas e se planejar a curto, médio e longo prazo.

Os principais ERPs do mercado

Se a sua empresa ainda está na dúvida sobre qual ERP deve contratar ou, pior ainda, se está insatisfeita com a solução atual, vai gostar das informações abaixo. Escolher um software, ainda mais de importância tão grande, envolve uma série de critérios. Entre eles, podemos citar:

  • estrutura para atender empresas de diferentes tamanhos;
  • possibilidade de escalar a operação conforme a necessidade;
  • custo-benefício comprovado da ferramenta;
  • qualidade do suporte oferecido;
  • reputação no mercado;
  • recursos específicos para certos nichos (caso seja necessário);
  • entre outros.

O fato é que decidir pelo sistema que vai controlar toda a gestão do negócio não é tarefa simples, e a escolha não deve ser feita com base em uma avaliação superficial.

Para ajudar nesse respeito, a Gartner lançou uma pesquisa recente com 11 ERPs brasileiros que vale a pena considerar na hora de tomar sua decisão. O relatório conta com nomes conhecidos no cenário nacional, como ContaAzul, OnClick e Benner.

 

Fonte: Cadeia Logística do Frio

Comente