Os profissionais de RH (Recursos Humanos), que atuam com gestão de saúde nas empresas, já buscam constantemente meios para reduzir o custo com plano de saúde nas corporações. E pela previsão, equilibrar essa equação será cada vez mais desafiador. Segundo informações da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), existe uma expectativa de aumento nos custos médicos e nos planos de saúde devido ao envelhecimento da população brasileira. Até 2060 espera-se que mais de 19 milhões de pessoas atinjam os 80 anos.

Diante disso, muitos gestores de RH se questionam “como reduzir custos na contratação de planos de saúde?” É sobre isso que vamos falar neste artigo! Acompanhe.

# Custo com plano de saúde: problemas mais comuns

O custo envolvido na contratação de planos de saúde é um dos maiores gastos das organizações, ficando atrás apenas da folha de pagamento.

Para minimizar esse problema, o caminho é melhorar a gestão de saúde na companhia. E essa melhoria passa por fugir de uma prática até comum nas empresas, que é delegar a uma única pessoa a responsabilidade de gerir a saúde corporativa. Se considerarmos que esta gestão envolve a relação com as operadoras, apoio aos usuários, programas de prevenção, gestão de custos, entre outros, fica claro que a tarefa é árdua.

Por isso, formar equipes qualificadas para tal é uma boa opção. Sua empresa pode monitorar melhor o uso do plano de saúde pelos colaboradores, negociar preços mais acessíveis, gerenciar o uso racional do benefício, entre outras questões tão importantes envolvidas na gestão de saúde. E buscar capacitar esses profissionais em gestão de saúde corporativa, com treinamentos ou com apoio de consultorias, sem dúvida vai fortalecer essa estratégia.

A participação em grupos de discussão e fóruns que reúnam profissionais da área para troca de experiências e lições aprendidas também é uma prática que ajuda a aumentar a competência do time na gestão de saúde.

Outro problema comum é o acompanhamento dos custos apenas após sua realização. Vale lembrar aqui que é importante analisar informações históricas para direcionar ações preventivas e promover mudanças no processo, em prol de redução de custos, além do atendimento mais adequado das necessidades dos usuários.

Quer entender melhor como aperfeiçoar a gestão de saúde da empresa? Veja as dicas a seguir!

# Dicas de como reduzir custos na gestão de saúde da sua empresa

Periodicamente os planos de saúde são reajustados. Em 2017, por exemplo, a ANS definiu que as operadoras de planos de saúde poderiam reajustar os valores dos contratos individuais e familiares em até 13,55%. Um reajuste mais do que três vezes maior que a inflação oficial.

Soma-se a isso, no modelo de contratação tradicional de um plano de saúde empresarial, os reajustes relativos à taxa de sinistralidade (relação entre o custo do serviço e o valor cobrado) da sua empresa. Ou seja, a previsão de aumento dos custos mostra força não é mesmo?

O aumento da eficiência na gestão de saúde envolve diversos aspectos, desde o cuidado na contratação de planos de saúde até o controle do uso do benefício.

Por isso, confira algumas dicas e boas práticas que vão ajudar você neste desafio:

1 - Análise de pedidos dos procedimentos

Quando a empresa conta com uma equipe de RH qualificada e utiliza softwares que facilitam o gerenciamento de informações, fica muito mais fácil controlar a solicitação de procedimentos pelos funcionários.

Ao fazer a análise de pedidos de exames médicos, por exemplo, é possível identificar as especialidades mais utilizadas pelos colaboradores. Além disso, a empresa pode buscar uma segunda opinião de profissionais de saúde parceiros, para verificar se o exame ou procedimento é realmente necessário.

Já existem empresas que adotam uma maneira prática e que ajuda a reduzir os custos, que são as chamadas clínicas ambulantes. Elas literalmente são estacionadas dentro das fábricas para fazer triagens de saúde, exames entre outros. O que facilita o controle e ajuda a garantir a realização dos exames com menor custo.

Desse modo, o gestor de RH consegue acompanhar melhor a utilização do plano de saúde e pode também oferecer serviços de maior qualidade, de acordo com a demanda.

2 - Revisão no número de operadoras e nos modelos de planos

Outra medida que pode ser adotada pela sua empresa para reduzir o custo com plano de saúde é a mudança dos modelos de contratação de planos de saúde. Em vez de adotar planos pré-pagos, pode-se optar por opções pós-pagas.

Assim, a empresa gasta apenas quando o funcionário utiliza o plano. Contudo, isso exige uma gestão de saúde eficiente, pois se o profissional de RH não acompanhar o uso do benefício, isso poderá trazer prejuízos para a companhia. A conciliação das informações precisa ser ainda mais eficiente neste caso.

Outro ponto a ser avaliado é o número de operadoras e a quantidade de planos que sua empresa oferece. Novamente, conhecer o perfil de seu quadro de funcionários e sua demanda, assim como estar melhor capacitado em gestão de saúde, vai ajudar você a oferecer as melhores opções. Afinal, quantidade não é, necessariamente, sinônimo de qualidade

3 - Criação de comitês internos

A capacitação será um diferencial na gestão de planos na sua empresa. E o compartilhamento das estratégias com profissionais de outras áreas também. Para isso, podem ser criados comitês multidisciplinares, com o RH, médicos internos e funcionários de outras áreas, por exemplo. Discutir a situação da saúde na sua empresa e direcionar ações para melhorá-la será muito mais efetivo com a colaboração de todos.

Lembre-se de que delegar a responsabilidade de gerir a saúde corporativa para uma única área ou pessoa pode ser prejudicial para seus planos de redução de custos.

4 - Promoção à saúde e prevenção

As empresas podem (e devem!) direcionar planos com ações voltadas à prevenção, aumento de qualidade de vida, além do uso racional do benefício. A prevenção interfere diretamente nas condições de saúde dos funcionários, e consequente no uso do plano de saúde.

Para isso é preciso conhecer os funcionários da sua empresa: fumantes, sedentários, peso acima do recomendado, diabéticos, hipertensos, entre outros, para ajudar a selecionar o tipo de programa.

Se sua empresa oferece refeições para os funcionários, é possível ajustar o cardápio e oferecer alimentos saudáveis e equilibrados. Ao reduzir o sal, disponibilizar opções coloridas de saladas e pratos menos gordurosos, os colaboradores aprendem a comer melhor, o que favorece a manutenção da saúde.

Já as companhias que não possuem refeitórios podem criar campanhas de reeducação alimentar para os colaboradores. Muitas vezes, sai mais barato disponibilizar um nutricionista para orientar sobre a criação de pratos saudáveis do que ter funcionários com problemas cardíacos ou de pressão alta.

Campanhas para conscientização quanto tabagismo, alcoolismo, sedentarismo e obesidade também contribuem para a qualidade de vida dos colaboradores. Consequentemente, ajudam a reduzir custos com planos de saúde.

Diante desse contexto, é possível perceber que a gestão de saúde por uma equipe de RH qualificada e que envolva toda a empresa é o caminho para reduzir o custo com plano de saúde. E para posicionar o RH como área estratégica.

Entenda como ter um RH estratégico na empresa e as vantagens que isso proporciona!

rh_benner_cta