Logística

Controle de combustível em tempos de crise: mais que uma necessidade!

19 de Julho de 2016 | por Equipe Benner

Tão representativo para os indicadores de logística quanto os pneus é o consumo de combustível. Com os aumentos dos últimos tempos, então, nem se fala! A alíquota de ICMS subiu de 25% a 28% em março de 2016 para os combustíveis, e no atual cenário político-econômico ainda restam incertezas quanto à inflação e às finanças no Brasil. Isso implica dizer que controle de combustível deve ser, mais do que nunca, assunto prioritário em transportadoras e operadores logísticos.


Mesmo quando o caminhão sai da transportadora com peso e rotas determinados, o consumo de combustível nem sempre fica dentro da expectativa. E esse gasto extra tem um impacto enorme no custo operacional da transportadora.  


Confira como você pode identificar a origem dessas divergências e tomar iniciativas para ajudar sua frota a consumir menos combustível!


Para começar: é necessário lançar mão de recursos de automação logística para controlar quanto de gasolina é consumido pela frota durante as entregas e dispor de informações à mão para análise e tomada de decisão. Um sistema de informação para logística vai fornecer dados como a rota percorrida, se houve alguma parada e por quanto tempo, qual foi a velocidade média, entre outras informações relevantes sobre a viagem.


De posse dessas informações, seus gestores podem fazer análises importantes que ajudarão sua transportadora a aumentar a eficiência da frota, tais como:


  • Determinar melhor rota e percurso: vale lembrar que nem sempre a rota mais econômica será a de menor distância. O volume de trânsito, as condições das estradas e aclives, por exemplo, aumentam o consumo. O número de vezes que o caminhão precisou ser abastecido durante o trajeto e os valores pagos podem gerar resultados bem diferentes do esperado ao final da viagem;
  • Avaliar as condições de manutenção da frota: acompanhar a quilometragem rodada dos veículos, assim como as datas para troca dos filtros de ar, óleo e combustível faz toda a diferença para um menor desgaste do veículo e consequentemente menor consumo de combustível. A regulagem dos freios e as condições dos pneus também;
  • Considerar o peso das cargas: um estudo do Escritório de Eficiência Energética e Energias Renováveis dos Estados Unidos mostrou que cada 40 quilos de excesso de peso aumenta o consumo de combustível em até 2%. Analisando esse tipo de dado na sua frota, você pode identificar, por exemplo, que tipo de caminhão e rota são melhores para cargas mais pesadas ou mais leves, assim como ter mais controle sobre viagens com excesso de peso;
  • Orientar o estilo de direção do motorista: estilos de direção mais suaves, onde os limites de velocidade são respeitados e freadas e acelerações bruscas são mínimas, contribuem para um menor consumo. Segundo a Energy Saving Trust, ao dirigir a 140 km/h o consumo de combustível é 25% maior do que a 110 km/h. Oriente seus motoristas a acelerarem de modo gradativo e estabelecerem uma velocidade constante, desligarem o motor se estiverem parados em congestionamentos e trocarem as marchas na rotação adequada de motor.


Esses são exemplos de avaliações que sua transportadora pode fazer tendo em mãos as informações adequadas para lidar com indicadores de logística cruciais como o consumo de combustível. Automação logística para obter, entre outros ganhos, controle de combustível minucioso, ajudará você a tomar decisões mais assertivas em prol da rentabilidade da sua transportadora.

cta-horizontal-benner-logistica-p3

Comente