Compliance Jurídico

Como ter mais eficiência na gestão dos honorários advocatícios?

9 de Setembro de 2016 | por Equipe Benner

Controlar todos os gastos e suas variantes não é tarefa fácil nem para os departamentos jurídicos mais organizados. Mas quando o assunto é gestão de honorários advocatícios apenas a organização não é o suficiente. É preciso ir além do controle e obter meios para mensurar se as cobranças estão corretas. Quais procedimentos minha empresa deve adotar para não somente acumular um montão de planilhas?


Não basta só fortalecer o controle, é preciso criar procedimentos que dêem transparência ao processo para evitar prejuízos aos dois lados e estreitar ainda mais a confiança entre os advogados e escritórios de advocacia. Veja cinco procedimentos essenciais para facilitar a gestão dos honorários de advogados:


  • Transparência no acordo: trata-se de uma premissa importante para melhor gestão de custo do departamento jurídico. Para cumprir o que foi combinado com o advogado, é necessário que as condições fiquem claras — o que favorece o fechamento de contrato. Atente-se para que no documento estejam discriminados os valores e serviços que serão prestados.
  • Levantamento completo de gastos e investimentos: seguir com rigor o item anterior, facilita muito a realização desta etapa. Com a análise completa de cada custa processual (em todos os seus detalhes), é mais fácil estabelecer todos os custos embutidos. Lembre-se de avaliar se estão relacionados todos os gastos fixos, a exemplo da manutenção do escritório, e ainda se está sendo contemplado o valor do tempo para preparação da peça (considerando as fases de estudos e pesquisa).
  • Identificar gastos em aberto: a utilização de um software jurídico especializado garante que todas as etapas estejam contempladas no planejamento financeiro, incluindo os custos abertos (nem sempre possíveis de serem estimados). A tecnologia pode ajudar, por exemplo, no gerenciamento do contencioso judicial ou extra judicial. Esse controle rigoroso pode evitar outro prejuízo que é conhecido dos departamentos jurídicos desorganizados: gastos extras com perdas de prazo.
  • Comunicação clara: outra maneira imprescindível de controlar com eficiência os honorários advocatícios é apresentar com clareza os itens a serem pagos. Soluções tecnológicas especializadas em departamentos jurídicos, por exemplo, podem gerar relatórios gerenciais relacionando o pagamento de custas processuais, deslocamentos, cobranças de reembolso de despesas de clientes, entre outros pontos.
  • Cumprimento rigoroso da lei: é importante não perder de vista também o Código de Ética da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Os artigos 35, 36 e 37 trazem recomendações importantes a serem observadas a respeito dos honorários dos advogados.

Dica infalível: estes procedimentos tornam-se ainda mais simples à partir da adoção de um sistema jurídico eficaz na gestão desses escritórios terceiros para parametrizar as principais atividades, as entregas, assim por diante. Dessa forma, além de ganhar com uma agenda mais eficiente e rigorosa para o acompanhamento, o controle de gastos se torna mais fácil. Isso evita, por exemplo, o grande esforço de conferir nota por nota no fim do mês, além de gerar economia de notas duplicadas ou serviços cobrados, porém não realizados. E, principalmente, você pode centrar sua atenção e a de sua equipe na prática jurídica.

Continue acessando o blog da Benner para compreender com profundidade como a tecnologia pode garantir maior eficiência e transparência na gestão de honorários advocatícios.

cta_benner_juridico_ti_horizontal

Comente