Logística

Como se adaptar à nova Lei do Motorista e manter o controle da transportadora?

18 de Janeiro de 2017 | por Equipe Benner

Em 2015, o Detran RS divulgou uma Análise de Acidentes com Vítimas Fatais envolvendo Caminhões no Rio Grande do Sul de 2010 a 2014. De acordo com os dados da análise, em um total de 10.327 mortes no trânsito, 2.547 tiveram envolvimento de, ao menos, um caminhão. Esse número mostra que 24% dos acidentes com vítimas fatais no trânsito neste estado têm envolvimento de caminhões. A Volvo, montadora de caminhões desenvolveu dentro de seu Programa Volvo de Segurança no Trânsito, o Atlas da Acidentalidade no Transporte Brasileiro. Esse documento traz a informação que em 2012 aconteceram 62.851 envolvendo caminhões, com 3.682 vítimas fatais, o que representa 10,1 mortes envolvendo caminhões por dia no Brasil. Os números são bastante expressivos, para quem atua no setor, ou não.


Legislação traz vantagens para a transportadora


Houve mudanças da legislação logísticaem 2012 com a aprovação da  Lei 12.619 e, em 2015, com a nova Lei 13.103, ambas para normatizar a profissão de motorista. Com as mudanças na legislação, algumas alterações foram propostas para a logística de transporte. Conhecida como a nova Lei do Motorista, ela regulamenta a obrigatoriedade de descansos semanais e a carga horária limite diária, entre outras obrigações legais. Inicialmente vista com maus olhos pelas empresas do setor devido ao possível aumento dos custos, a Lei do Motorista vem se mostrando cada vez mais benéfica para o transporte seguro de cargas.


O Atlas da Acidentalidade, desenvolvido pela Volvo, revela que entre 2008 e 2011 houve 36% de aumento no número de acidentes nas estradas brasileiras e, em 2012, uma queda de 4,1%. Partindo desse pressuposto, a Lei do Motorista é importante para o transportador, pois está minimizando a exposição à riscos durante o transporte de carga.


Com essas mudanças, o transportar precisará se adaptar para manter o resultado financeiro e controlar a rotina de trabalho dos motoristas. Trabalhando em cumprimento à legislação e minimizando a possibilidade de passivos trabalhistas, alegações ou o não cumprimento da norma.  


Como controlar a jornada dos motoristas


Seguir a regulamentação não é fácil, pois o motorista está sempre realizando seu trabalho externamente e não se mantém em um local fixo. Você deve estar se perguntando como controlar mais efetivamente a rotina dos motoristas e minimizar os passivos, certo?. Confira algumas dicas que poderão auxiliar em seu dia a dia!


  • Instrua os envolvidos no transporte: alguns motoristas atuam há muitos anos na área e podem não conhecer as novas normas ou demonstrar resistência às mudanças na legislação. Informá-los sobre as alterações da legislação, quais as novas obrigações, a importância do cumprimento da norma e a relevância para sua segurança, irá proporcionar o cumprimento da nova regulamentação. Um software com um módulo adequado para controle de treinamentos será o diferencial para atender todos os envolvidos com o transporte.

  • Conheça o itinerário das viagens: com mais informações sobre o trajeto, distância entre o ponto de partida e a chegada e consequente noção sobre o tempo de viagem, será possível prever os possíveis horários de descanso e informar previamente os locais mais indicados para pausas na jornada. Uma solução tecnológica com rastreabilidade será uma aliada para saber o destino e localização atual do motorista.

  • Documente acordos de trabalho e mantenha registros: muitos motoristas trabalham registrados em uma transportadora e muitos outros atuam autonomamente, como prestadores de serviço. Mesmo que você opte pela contratação de trabalhadores sem vínculo empregatício, coletar assinatura de seu parceiro nos acordos de trabalho firmados comprova a ciência do motorista com as rotinas da empresa. Para minimizar possibilidades de passivos, manter documentos assinados e arquivados irá resguardar o transportador;

  • Controle a jornada de trabalho: a legislação permite que, caso seja de interesse do empregador, o controle das horas trabalhadas poderá ser realizado por meio desse método. Ou seja: o motorista deverá informar fidedignamente em seu diário de bordo os horários realizados durante a viagem. Esse modelo de controle, trabalhoso e demorado, poderá ser efetivo para pequenas frotas e poucas viagens. Opte por uma solução tecnológica para controlar a jornada de trabalho de seus motoristas. Isso certamente irá facilitar o controle, a conferência e a fidedignidade das informações.

A nova lei do motorista minimiza riscos em viagens. O cumprimento da legislação logística manterá a empresa mais segura e compatível com a lei. Contar com um software de gestão para controlar a jornada de trabalho e descanso dos motoristas, minimiza passivos e mantém a empresa segura do cumprimento da legislação.

Entre no site da Benner e conheça as vantagens das soluções para logística!

cta-horizontal-benner-logistica-p3

Comente