Compliance Jurídico

Como ampliar a governança corporativa no departamento jurídico?

2 de Fevereiro de 2017 | por Equipe Benner

O mercado como um todo passa mudanças constantes, impactado pela crise política e econômica, além de problemas sociais. As empresas por sua vez,  para se manterem competitivas, buscam formas de mostrar credibilidade frente aos clientes, parceiros de negócio, investidores e até perante ao Governo. Afinal, notícias sobre fraude, desvios de verba e sonegação circulam constantemente. Não à toa, processos de auditorias como a SOX (Lei Sarbanes- Oxley), acordos internacionais como o de Basiléia e projetos como o Sped e eSocial, que visam digitalizar e automatizar ao máximo as obrigações fiscais, se fortalecem em prol de maior governança corporativa.


A grande questão é: o que você está fazendo para ajudar sua empresa a estar preparada para essa realidade do mercado? Como adequar seu departamento jurídico e estar em compliance com tais exigências? Será necessário transformar a gestão jurídica tradicional, mudando a visão de área geradora de despesas dentro da organização para um setor de eficiência operacional e estratégica.


# Identificando o momento no seu departamento jurídico


Primeiramente, será preciso entender em qual momento o departamento jurídico da sua empresa se encontra, para, então, entender o tamanho das mudanças necessárias.  


O modelo de gestão dos processos judiciais, a necessidade de incorporação de novas tecnologias e automatização dos processos deve ser avaliado, no intuito de identificar oportunidades de melhoria quanto a otimização de tempo e de recursos. Com o grau certo de integração e automação dos fluxos de trabalho, gerir seus processos e garantias, escritórios credenciados e contencioso de massa, por exemplo, será muito mais fácil e assertivo.


A partir dessa análise do momento do departamento, seu time vai gastar menos tempo “garimpando” informações e buscando mecanismos de controle. Além disso, seu departamento jurídico poderá incorporar ações preventivas e estratégias para o negócio da organização.


# Planilhas eletrônicas não são suficientes para gestão estratégica


Se você leu o tópico anterior e pensou: “tudo bem, já faço isso com minhas planilhas eletrônicas”. Está enganado! Para mudar de fato, é importante entender que as planilhas eletrônicas são muito úteis, mas não podem ser consideradas uma ferramenta de gestão estratégica no departamento jurídico. Tanto pela manipulação excessiva de dados que gera erros quanto pela falta de rastreabilidade das informações, por exemplo, a tomada de decisão é bastante prejudicada.


Com a falta de integração e segurança, não há como estar em compliance com os pré-requisitos de uma boa governança corporativa, como a transparência, a eficiência e a prestação de contas (accountability).


Ao longo do tempo e com o volume de dados, a gestão dos processos é muito prejudicada, assim como a governança corporativa, pela escassez de informações gerenciais e pelo enorme esforço para sua administração sem integração aos demais sistemas da empresa. Cumprimento de prazos, automação, controle dos históricos e acessos seguros conforme autorização prévia não existem nesse cenário. Você pode conferir aqui a diferença entre informatização e automação!


# Mapeando os pontos mais importantes de melhoria na gestão de processos


Ótimo, sua empresa está disposta a mudar e já sabe que vai precisar deixar as planilhas de lado. Mas, por onde começar? Não é possível fazer tudo ao mesmo tempo, certo? Por isso, comece identificando os pontos que mais podem contribuir para mudança de patamar da governança corporativa no seu departamento jurídico.


Nesse momento, você deve mapear os processos operacionais da área que podem ser automatizados para ganhar eficiência, pontos de integração com outras áreas e controles imprescindíveis, como o pagamento de honorários. Além disso, nessa hora você pode identificar indicadores que poderiam ser implementados com a automação da área, para elevar ao máximo o desempenho do setor em tarefas de encerramento dos processos de ganho de causa, entre outras atividades cotidianas.


Envolvendo seu time interno ou contando com empresas especializadas em consultoria de processos e melhores práticas de gestão, você poderá potencializar os resultados do departamento jurídico, aprimorar (e muito!) a gestão dos processos e contribuir para governança corporativa e competitividade da empresa.


A consultoria Robert Half, líder mundial em recrutamento especializado, revela que a área jurídica dentro das companhias ganha cada vez mais um papel estratégico e consultivo. Se sua empresa quer acompanhar esse movimento e aumentar a governança corporativa, é preciso buscar o fornecedor e a tecnologia certos para subsidiar mudanças! Continue acompanhando o blog, para saber como fazer!

cta_benner_juridico_ti_horizontal

Comente