Compliance Jurídico

3 requisitos de segurança essenciais em um software jurídico

12 de Fevereiro de 2016 | por Equipe Benner

No mercado globalizado atual, é extremamente comum que as empresas atuem com operações descentralizadas em diversos países, incluindo a gestão dos processos jurídicos em que estejam envolvidas. Nesse cenário, centenas de usuários da companhia e de escritórios credenciados utilizam o mesmo software jurídico para realizar seu trabalho.

Tanto a área de TI (Tecnologia da Informação) quanto a área jurídica sabem que é fundamental contar com uma solução tecnológica para ter eficiência. E encontrar no mercado o software que melhor entende o setor jurídico e se adapta a realidade da empresa também.

No entanto, tão importante quanto avaliar aspectos funcionais, é estar muito atento ao grau de segurança oferecido pelo sistema. E nesse ponto a colaboração da área de TI no processo de seleção de uma ferramenta é indispensável. Confira agora três requisitos fundamentais, que o melhor software jurídico precisa oferecer a sua empresa para trazer mais segurança para a operação:

1. Governança corporativa

O software utilizado pela sua empresa precisa garantir que as informações de processos, contratos, provisionamento de riscos e valores, entre outros dados envolvidos na área jurídica sejam acessíveis apenas por aqueles autorizados previamente a acessá-los. A confidencialidade e o acesso ao sistema devem ser controlados pelo software jurídico de acordo com o perfil de acesso de cada usuário e escritório credenciado, em consonância com as atividades a serem realizadas. Assim, o acesso a informações sigilosas, o vazamento de dados dos processos, entre outras situações críticas são evitadas.


2. Confiabilidade e interface

A solução adotada também precisa dar condições para que sua empresa disponha de informações confiáveis, corretas e apresentadas em formato adequado para utilização. Nesse sentido, uma interface amigável e de fácil utilização, potencializa a utilização da ferramenta, evitando que os usuários optem pelo uso de planilhas e controles paralelos, por exemplo, que aumentam (e muito!) a margem de erros, comprometendo a qualidade das informações. Outro ponto importantíssimo quanto a confiabilidade dos dados, é manter o histórico de alterações. Na gestão de contratos, por exemplo, o software jurídico garante que as informações não sejam alteradas sem a devida autorização ou que fiquem registradas para posterior averiguação.

3. Compliance e integração

#3 Para que sua empresa ganhe credibilidade no mercado, contar com um departamento jurídico em compliance com as regras da SOX e com a governança corporativa da companhia é crucial. Para conseguir isso, o software jurídico deve trabalhar em prol da integridade dos dados, permitindo principalmente a comunicação automática com o ERP da sua empresa, refletindo, por exemplo, os valores dos processos automaticamente nos demonstrativos contábeis, sem necessidade de intervenção manual. O controle das atividades do departamento por meio de fluxos de workflow customizáveis também propicia mais acuracidade para os dados da área. E para ser ainda mais eficaz na gestão das informações, disponibilizá-las de forma a facilitar o monitoramento e a auditoria, para evitar possíveis fraudes, também é um diferencial.

Segurança certamente faz parte dos assuntos discutidos e das ações tomadas na área de TI da sua empresa e para o departamento jurídico contar com um software que apresente os requisitos acima para minimizar riscos é essencial. Continue acompanhando nosso blog, promova uma parceria com o departamento jurídico da sua empresa e ajude a escolher a melhor e mais completa solução.

cta_benner_juridico_ti_horizontal

 

Comente