Ampliar os negócios e desenvolver novas áreas de atuação para atender o território nacional é o objetivo de todo profissional responsável por uma transportadora. Com unidades espalhadas pelo país, as probabilidades de ganhos e de crescimento da empresa aumentam, não é mesmo?

Pode parecer que sim, mas para garantir que a afirmação seja verdadeira é preciso alguns cuidados e atenção especial aos números apresentados por uma transportadora, em suas diferentes unidades. William Edwards Deming, autor e palestrante estadunidense, traduz essa necessidade dizendo que “O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado”.

Dessa maneira, para gerenciar uma transportadora é necessário que sejam desenvolvidos indicadores logísticos de transporte. Assim, será possível acompanhar números e medir o desempenho das diferentes equipes e unidades, proporcionando um gerenciamento mais adequado e mantendo as operações e a transportadora saudáveis.

Com a elevada demanda de trabalho e a rotina corrida das transportadores, muitas vezes o crescimento acelerado não permite a criação prévia de indicadores de produtividade logística. Com o passar do tempo, essa dificuldade será sentida pelo gestor responsável pela transportadora, pois a falta de acesso à informações importantes pode prejudicar a administração da empresa e impedir projeções futuras.

Todas essas informações com certeza o fizeram pensar que você precisa investir no desenvolvimento, controle e acompanhamento de indicadores de produtividade logística, em sua empresa, certo?

cta-horizontal-benner-logistica-p3

É importante relembrar que gerenciar indicadores logísticos de transporte é uma tarefa árdua e que exige informações confiáveis e de fácil acesso, para que o real desempenho da transportadora seja monitorado. Mesmo com diferentes unidades, o controle precisa ser efetivo, com informações consistentes em cada filial.

Manter diferentes unidades dificulta ainda mais o controle de informações importantes para os indicadores logísticos de transporte, pois a distância tende a criar ruídos na troca de informações. Imagine um gestor que receba diariamente os dados de notas fiscais lançadas e não tenha acesso ao sistema utilizado em suas unidades. Mesmo que essas informações sejam transmitidas por seus colaboradores, os números apresentados podem não ser reais, e a informação não é totalmente segura. Além disso, a impossibilidade de acesso ao sistema de logística de transporte não permite que os dados apresentados sejam consultados e validados.

Mas como acessar informações confiáveis e fazer um controle efetivo à distância?

Ferramentas tecnológicas serão grandes aliadas para que informações relevantes no desempenho da transportadora sejam acessadas e administradas. Optar por um sistema de logística de transporte que integre informações e permita fácil acesso e padronização de dados é fundamental para administração efetiva de indicadores de produtividade logística.

A Coopercarga Logística,transportadora com mais de 60 unidades entre Brasil e Argentina, visando administrar todas as suas unidades, optou pelo ERP Benner para consolidar seus processos administrativos e, por meio da solução TMS (Transportation Management System), passou a administrar coletas, transferências, entregas e viagens. Com a integração proposta pelo novo sistema de logística de transporte, os responsáveis pela administração da transportadora acessam informações confiáveis e de qualidade, pois o software rejeita qualquer referência inadequada e não alinhada à política de autorizações. Além disso, a empresa ganhou produtividade em diferentes processos, como na área fiscal com a simplificação na emissão de CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico).

O exemplo da Coopercarga demonstra ganhos em acesso à informações proporcionados à uma transportadora ao utilizar um sistema de logística de transporte. Esse ganhos estão diretamente relacionados aos indicadores logísticos de transporte, pois irão nutrir os responsáveis pela transportadora com todas as informações necessárias no acompanhamento dos indicadores de desempenho.

Além disso, um sistema de logística de transporte que integra as informações de diferentes unidades permite que a administração e as metas sejam distribuídas proporcionalmente à região em que está cada unidade. Imagine uma transportadora que possua uma unidade em Santa Catarina e outra em São Paulo. Na primeira, são carregados cinco caminhões ao dia e, na segunda, vinte caminhões ao dia. Os indicadores de desempenho e as metas estipuladas para cada unidade precisam ser acompanhados e avaliados com diferentes olhos e essa diferenciação só será possível por meio de acesso às informações consistentes, apresentadas em um sistema confiável e seguro nos dados apresentados.

Outro exemplo de indicador de produtividade logística é a quantidade diária de lançamentos de notas fiscais em cada unidade. Um sistema que atenda à todas as unidades de uma transportadora e armazene com segurança todas as informações lançadas apresentará dados com precisão sobre a totalidade de notas fiscais lançadas diariamente, munindo a gestão da empresa com dados palpáveis sobre a realidade diária da operação.

“O que não pode ser medido, não pode ser gerenciado” e sem gestão não há crescimento sustentável no longo prazo. As informações apresentadas mensalmente nos indicadores de desempenho devem ser utilizadas para projetar crescimento, estipular metas e acompanhar o desempenho das áreas e colaboradores. Além disso, o acompanhamento de indicadores diminui a possibilidade de surpresas desagradáveis sobre a performance anual de uma empresa.

Ainda tem dúvidas sobre como lidar com os desafios da área de logística de transporte? Para saber mais, baixe o ebook da Benner sobre como vencer os grandes desafios do setor logístico.