O número de ações trabalhistas no Brasil teve seu maior crescimento em 20 anos, atingindo 2,6 milhões de processos em 2015 e parte desse aumento é justificado pelas altas taxas de desemprego vividas no país. Em um ranking divulgado recentemente, que compara os últimos índices oficiais de 51 países, o Brasil tem o sétimo maior índice de desemprego entre os pesquisados. Números como estes impactam diretamente na gestão jurídica das empresas, que precisam redobrar seus cuidados ao gerenciar seu contencioso de massa.

Um dos grandes desafios dos departamentos jurídicos, o contencioso de massa representa contestação ou discussão em grande volume. Administrar uma carteira volumosa de processos de forma eficiente, para garantir à empresa êxito quanto às condenações e fortalecimento da marca, torna-se fundamental para o sucesso do departamento jurídico.

Embora imprescindível, gerenciar o contencioso de massa tem lá suas dificuldades o que, por vezes, faz com que essa gestão não seja tão efetiva, gerando riscos tanto para a área jurídica, quanto para a empresa.

# Perda financeira

Em grandes volumes de processos, a gestão dos custos fica dificultada. Gerir o pagamento de honorários, taxas, garantias judiciais e recursais, entre outros custos será fundamental para gestão financeira dos processos e provisionamento do contencioso. A falta de controle aqui aumenta o risco de perdas com pagamentos equivocados e até a falta de recuperação de créditos e garantias.

# Falta de ações preventivas

Cabe ao departamento jurídico discutir e propor ações preventivas que minimizem litígios futuros, além de prestar assessoria jurídica para todas as áreas da empresa.  Quando não se consegue gerenciar o contencioso de massa, avaliando com atenção as causas, fica muito difícil para o gestor jurídico e seu time atuarem de forma estratégica, com contribuições voltadas a contratos mais adequados, modelos de contratação mais seguros e outras formas de prevenção de riscos.

# Controle deficiente sobre o andamento dos processos

O acompanhamento processual é fundamental para obtenção de êxito, entretanto, quando se trata de grandes volumes, a gestão dos prazos e pautas das audiências fica mais complicada. Quando, em meio aos processos de gestão jurídica, há falta de mecanismos eficientes para gerenciar o contencioso de massa, sua empresa corre mais riscos de perda de prazos e falta de informações e até da presença de prepostos ou testemunhas nas audiências, por exemplo.

# Grande dependência dos escritórios credenciados

Se sua empresa ainda não encontrou formas de gerenciar o contencioso de massa como deveria, certamente passa por grande dependência dos escritórios credenciados com os quais trabalha. Nesse caso, por mais qualificados que sejam seus parceiros, você ficará a mercê do nível de gestão e qualidade que cada escritório consegue aplicar.

Para mitigar esses riscos, o gestor jurídico deve buscar alternativas para aumentar a eficiência da área na gestão jurídica e, principalmente, formas de gerenciar o  contencioso de massa com maior controle, mais visibilidade e também informações úteis para prevenção.

Contar com um sistema padronizado para as rotinas do departamento jurídico a fim de dar respostas para cada processo, por exemplo, ajudará sua área a ser mais eficiente frente ao grande volume. Responder de forma rápida e automatizada será uma excelente alternativa, ao passo que se torna praticamente impossível avaliar estrategicamente cada caso para respostas específicas e particularizadas. A automação do fluxo de trabalho no departamento jurídico ainda possibilita a integração com as demais áreas das empresa, como Recursos Humanos e Controladoria, por exemplo.

Outro ponto bastante útil é trabalhar na geração de métricas de relacionamento e acompanhamento dos trabalhos nos escritórios credenciados. A medição de performance com dos escritórios é uma tendência no mercado, e pode ser utilizada, também, para atrelar a remuneração aos índices de desempenho, fidelizando a relação entre sua empresa e os terceirizados.

Pelo volume, o contencioso de massa também tem grande impacto financeiro na companhia, então contar com uma análise criteriosa e atualizada das provisões é essencial. A avaliação cuidadosa do risco para determinar adequadamente o valor máximo possível da materialização da demanda depende do fornecimento de informações confiáveis para determinar as chances do processo. Departamento jurídico e a contabilidade precisam trabalhar juntos aqui!

Para se tornar uma área estratégica na companhia, o departamento jurídico precisa controlar grandes volumes de processos de forma eficiente, produtiva e preventiva. Evitar os riscos da falta de gestão do contencioso de massa é fundamental nesse contexto. Para isso, o gestor jurídico pode (e deve!) contar com automação dos processos e da gestão jurídica. Ficou interessado? Continue acompanhando o blog para saber mais dos benefícios que a automação pode trazer para sua empresa.

New Call-to-action